Publicado em

Kit Definição Muscular + BCAA + ISO + THERMA + BRINDES

Composição do Combo: 
-Iso Blend (907g) – Integral Médica 
-Bcaa 3900 (100 Tabs) – Vencimento 30/09/2019 – Integral Médica 
-Therma Pro Hardcore (60 caps) – Integral Médica 
-Coqueteleira 1 Dose Transparente c/mola (600ml) – BRINDE
-Porta Cápsula Integral Médica – BRINDE

Preparado para testar seus limites até o fim??

O combo definição muscular traz os melhores suplementos para secar e trincar o seu corpo com eficiência e de uma maneira mais acelerada.

Fortalece o ganho de massa muscular constante. Pois contém alto grau de proteínas e aminoácidos essenciais para o desenvolvimento da hipertrofia, e ainda elevar ainda mais seus treinos ao máximo.

E para facilitar sua rotina diária de suplementação. Estamos mandando 2 BRINDES exclusivos da integral médica. Além de muito estilo, são utensílios muito uteis pra quem pratica exercícios físicos.

-Porta cápsula Transparente com divisórias.
-Coqueteleira 1 Dose Transparente c/mola (600ml)

Benefícios:
– Aumenta a adesão a definição muscular;
– Acelera o processo de hipertrofia;
– Auxilia na quebra de gordura, colaborando para perda de peso;
– Diminui a fadiga muscular;
– Aumenta a recuperação mucular central.

BCAA e associações.

BCAA é uma fonte de aminoácidos de cadeia ramificada que são usados para abastecer os músculos de trabalho e estimular a síntese proteica. BCAA vem da abreviação de “Branch Chain Amino Acids”, que significa Aminoácidos de Cadeia Ramificada, são formados por 3 aminoácidos essenciais que não são produzidos pelo organismo, sendo eles: L-Leucina, L-Isoleucina e L-Valina.

Efeitos do BCAA sobre a síntese proteica e reparação muscular

A importância da Leucina, que é um dos seus componentes na reparação do dano muscular pós-exercício, estimulando a síntese de proteínas, tem sido bastante enfatizada em resultados de estudos recentes.

A leucina tem sido amplamente investigada, uma vez que a sua taxa de oxidação é maior quando comparada a isoleucina e valina e por possuir a capacidade de estimular a síntese proteica muscular. Os estudos demonstram que o efeito da mistura dos três aminoácidos sobre a síntese proteica muscular pode ser atribuído ao aminoácido leucina, uma vez que em estudo com músculo esquelético perfundido, foi verificado que o fornecimento de leucina isoladamente estimula a síntese proteica muscular tão efetivamente como a mistura dos três.

A leucina exerce os seus efeitos em nível pós transcricional e mais comumente durante a fase de iniciação da tradução do RNA-mensageiro em proteína. O mecanismo pelo qual a leucina estimula a tradução de proteínas está relacionado ao fato do aumento da concentração intracelular desse aminoácido promover a ativação de uma proteína quinase denominada alvo da rapamicina em mamíferos (mammalian Target of Rapamycin – mTOR). O mTOR estimula a síntese proteica principalmente por meio de três proteínas regulatórias chaves: a proteína quinase ribossomal S6 de 70 kDA (p70S6k); a proteína 1 ligante do fator de iniciação eucariótico 4E (4E-BP1); e o fator de iniciação eucariótico 4G (eIF4G). (Figura 1)

Leucina é um dos aminoácidos de cadeia ramificada (os outros são isoleucina e valina), e se destaca pela capacidade de promover a síntese proteica via estímulo de PI3k/akt/mTOR (sinalizadores intracelulares) para maior incorporação de aminoácidos nas fibras musculares, assim como estímulo de células satélites para garantir não só hipertrofia, mas hiperplasia e regeneração tecidual. (Nie C 2018).

Alguns trabalhos sugerem a suplementação com leucina como forma de terapia importante para promoção do anabolismo e regeneração do tecido muscular lesado, inclusive com a oferta de outros nutrientes que possam exercer ação sinérgica.

Uma preocupação constante em relação a saúde humana é com a perda de massa muscular associada ao envelhecimento. Trabalhos sugerem que indivíduos que ao envelhecerem conseguem manter ou aumentar a massa muscular, tem maior longevidade e melhor qualidade de vida. (Srikanthan P, 2014).

Trabalho recente publicado por Devries MC et al (2018) em mulheres idosas com média de 69 anos submetidas a exercício resistido na perna, promoveu suplementação com whey protein isolado 25g (sendo 3g de leucina presentes na dose de whey) em um grupo, e no outro grupo, 10g de proteína de leite sendo também com 3g de leucina, por 6 dias. Os resultados demonstraram que a síntese proteica miofibrilar foi maior no grupo que tomou 3g de leucina com apenas 10g de proteína do leite, concluindo que o mais importante para evitar a perda de massa muscular e garantir o anabolismo não é o total proteico, mas a oferta dos aminoácidos essenciais e não essenciais e a dose de leucina presente.

Alguns estudos recentes têm reforçado o conceito da suplementação de whey protein associado a uma dose maior de leucina para garantir a síntese proteica e evitar a sarcopenia em idosos praticantes de atividade física. Os autores tem indicado doses de 3 a 5g de leucina. (Kramer et al, 2017; Chanet A et al, 2017).

Pessoas que podem se beneficiar com a suplementação de leucina são pacientes em uso de crônico de corticoides, como os asmáticos, portadores de doenças autoimunes, alérgicos e algumas formas de câncer (ex, leucemias), já que estes são medicamentos capazes de inibir a síntese proteica. A leucina pode evitar a proteólise e a sarcopenia por bloquear a AMPK (adenosina monofosfato kinase) e estimular o mTOR. (figura 1) (Wang XJ et al, 2016)

Uma associação interessante de ser feita na prática clínica é a suplementação de leucina com glutamina, conforme descrito por Waldron M et al (2018). Os autores testaram a leucina na dose de 0,087g/Kg associado com 0,3g/kg de glutamina, e observaram redução significativa da Creatina Kinase e da dor muscular tardia (DOMS) em relação ao grupo que usou apenas maltodextrina (controle), após exercício excêntrico.

Uma outra possibilidade de utilização da leucina é em dietas cetogênicas visando tratamento de epilepsia ou mesmo perda de gordura corporal para garantir a massa magra. Leucina é um aminoácido cetogênico, porém sua utilização requer cuidado pois sua capacidade de liberação de insulina poderia atrapalhar a cetose fisiológica do jejum ou mesmo induzida pelo consumo de triglicerídeos de cadeia média (TCM). Harvey C et al (2018) descreve em sua revisão que dosagens de até 9g de leucina induzem a cetose, mesmo reduzindo a proporção gordura para proteína de 4:1 para 2,5:1.

Portanto, conclui-se que a suplementação de leucina tem suas indicações para prevenção do catabolismo muscular, especialmente em situações clínicas descritas no texto, devendo ser bastante valorizada para o público idoso, bem como fazer suplementação associada a TCM (pré-treino) ou glutamina, ou mesmo com Whey Protein visando um ganho extra ao anabolismo e a síntese miofibrilar.

Publicado em

Dores nos Músculos no exercício – Como evitar aquela dor muscular depois de treinar?

Dores nos Músculos no exercício

Dores nos Músculos no exercício, Qualquer tipo de exercício que envolva o recrutamento de grandes grupos musculares causa microlesoes. A dor é sinal de que as fibras musculares estão se regenerando e, consequentemente, causando a hipertrofia dessas. Já que a dor é parte do processo de crescimento, seguem algumas dicas de como amenizá-la.
• Não pule o aquecimento no início do treino, bem como o alongamento;
• No fim do treino, faça um relaxamento. Pode ser uma caminhada leve para ajudar o lactato a se dispersar.
• Treine mesmo com dor. Esse treino deve focar apenas no relaxamento/recuperaçao da musculatura em questão, e não visando crescimento!
• Foco na suplementação, dieta e descanso. Vamos listar 3 suplementos à base de aminoacidos que mais ajudam a acelerar a recuperação e, consequentemente, amenizar a dor:

o 1º Glutamina (https://www.nutralimentos.com.br/produto/gluta-fix-300g/1245)
o 2º BCAA (https://www.nutralimentos.com.br/produto/aminofor-bcaa120-tabs/1971)
o 3º Whey Protein (https://www.nutralimentos.com.br/produto/100-pure-whey-850g-refil/2213)

Publicado em

BCAA para construção dos Músculos

BCAA para construção dos Músculos

BCAA atua na recuperação de lesões musculares, formadas durante um treino intenso de musculação.

Durante os exercícios com pesos, o corpo entra em estado catabólico, esse processo consiste na quebra de alimentos e nutrientes para que tenham, habilidade de construir músculos ou atuar no crescimento de outros tecidos, se o organismo não tiver nutrido necessariamente para se abastecer durante o treino, ele passa a retirar os aminoácidos presentes nos músculos para suprir a demanda do corpo por energia.

O resultado disso é a perda de massa muscular.

Os BCAA também estimulam e elevam a produção de insulina, que é um hormônio altamente anabólico, com sua elevação, propicia uma ótima absorção dos aminoácidos e nutrientes, servindo de matéria-prima na construção dos músculos, e permite uma maior entrada de glicose nas células, dando mais energia durante os treinos. O período ideal para se consumir os BCAA é antes e depois dos treinos, para poder suprir todas essas necessidades.

bcaa-complex-60caps